Quinta, 31 Jul 2014
Você está aqui: Home Coluna Lic. Eliel Rafael David Vieira da Silva
David Vieira da Silva Imprimir E-mail
Coluna - Lic. Eliel
Escrito por Eliel Rafael da Silva Júnior   
Seg, 27 de Setembro de 2010 10:44

David Vieira da Silva

David Vieira da Silva nasceu no dia 20 de janeiro de 1928, em um pequeno povoado conhecido como Jacu, na zona rural do Município de Pombal, em pleno Sertão Paraibano, a 371 km de João Pessoa, capital daquele Estado.
Seus pais eram agricultores e se chamavam Ariamiro José da Silva e Isaurina Isabel do Amor Divino. Seus avós paternos eram José Francisco de Sousa e Maria Rosa do Nascimento e seus avós maternos eram José Vieira de Freitas e Antônia Egíbia do Nascimento.

Pelo fato de dependerem da agricultura para subsistência seus pais eram cativos das intempéries do clima nordestino e da vontade dos proprietários das terras em que trabalhavam.

Para alimentar a numerosa família que possuíam constantemente se obrigavam a procurar propriedades que fossem satisfatórias ao pagamento do seu uso, que dessem uma produção capaz de alimentar a sua prole e que gerassem lucro para futuramente investirem na aquisição da tão sonhada terra própria.

Este constrangimento de perambular por terras alheias chegou ao fim nos primeiros dias do mês de novembro de 1949 quando seu pai resolveu vender uma pequena propriedade em Jacu e adquirir uma bem maior próxima a Brejo dos Santos, na época Distrito de Catolé do Rocha.

Em 15 de fevereiro de 1950, aos 22 anos, David Vieira da Silva contraiu núpcias com a sua prima, Adalcina Vieira de Freitas, que morava nas proximidades das terras de seu pai, na sede do Distrito de Brejo dos Santos.

O jovem casal, cheio de planos, resolveu a se aventurar em busca de melhores oportunidades. A esperança de felicidade poderia surgir em um local que não fosse muito povoado e que as terras, além de férteis, tivessem um valor relativamente baixo. Na época o Ceará parecia a melhor opção.

Decidiu conhecer o Município de Boa Viagem graças às informações recebidas por cartas de parentes que vieram para o Estado Ceará. Pouco tempo antes, por problemas de intolerância religiosa, muitos paraibanos, de confissão protestante, fixaram residência em Pitombeira e Cachoeira, localidades próximas da sede deste pequeno e próspero Município.

Em outubro de 1950, juntamente com a família de seu sogro, o Sr. José Vieira Filho, fixaram residência na localidade de Olho d’Água dos Facundos, propriedade adquirida através da intervenção de parentes que já residiam em Boa Viagem.

Nas eleições de 1954, Delfino de Alencar Araújo, candidato a prefeito de Boa Viagem, convida o sogro de David Vieira da Silva a ser um dos articuladores de sua campanha, para isso fez-se necessário a mudança da família de seu sogro para a sede do município.

Fixando residência na cidade após o período eleitoral José Vieira Filho torna-se funcionário da prefeitura e inicia a exploração de uma pequena mercearia. Nesta época começa a incentivar a vinda de seu genro para a zona urbana do município alegando que a vida na cidade era bem melhor.

David Vieira da Silva, em janeiro de 1958, decide se mudar com toda a sua família para a cidade. O centro urbano do município oferecia melhores condições para se viver e educar os seus filhos. Nesta época se iniciava também as atividades da Igreja Evangélica Congregacional, onde foi um forte cooperador e mais tarde escolhido por sua assembléia como Diácono.

Com o deslocamento para a sede do município resolveu investir as suas poucas economias em uma mercearia e posteriormente criou uma sociedade com o seu sogro em uma loja de tecidos e aviamentos de costura.

Em 1963, já estabilizado no comércio, liquida a sociedade com o seu sogro e adquire lotes de terras da antiga propriedade onde residiu, no Olho d’Água dos Facundos, acumulando a profissão de comerciante e agropecuarista.

Em 1966, seduzido pelas querelas políticas, começa a se envolver mais diretamente na governabilidade de nosso município, decide concorrer a uma das onze vagas do legislativo municipal. Próspero agricultor, honesto comerciante, exemplo de chefe de família e detentor de muitas virtudes morais consegue destaque dos demais candidatos e recebe um número expressivo de votos.

Próximo ao fim do seu primeiro mandato, visando unificar o período das eleições majoritárias e proporcionais no País, a Justiça Eleitoral, baseada na nova legislação em vigor, determinou que os candidatos eleitos em 15 de novembro de 1970 deveriam ter um mandato reduzido na próxima eleição. Este período administrativo ficou conhecido como “Mandato Tampão”.

Para este pleito, pela Aliança Renovadora Nacional, ARENA, recebendo o apoio do ex-prefeito José Vieira Filho, o Mazinho, foi indicada uma chapa contendo o nome dos vereadores Osmar de Oliveira Fontes para prefeito e de David Vieira da Silva para vice, que foi eleita pela população.

Em sua gestão, como vice-prefeito, teve a oportunidade de assumir o comando do executivo por diversas vezes, tendo em vista o ótimo relacionamento com o prefeito que precisava se ausentar do município.

Após este período, em 1973, retoma a sua cadeira no legislativo municipal. Nesta época, desejando o desenvolvimento educacional de nossa população, realiza a doação de uma grande propriedade na Rua Alfredo Terceiro, nº. 742, no Bairro Tibiquari, para a construção de uma escola que viria a ser referência no novo modelo de ensino adotado pelo governo na época, o ensino através do televisor.

Foto de 26 de março de 1976
Nesta época adquire para a sua propriedade um equipamento indispensável para o homem do campo, um trator. Iniciando a quadra chuvosa de 1976, empolgado com a nova aquisição, resolve arar a sua propriedade em Olho d’Água dos Facundos, não atentando para a falta de experiência no manuseio desta ferramenta.

Infelizmente, sem a habilidade suficiente para controlar a força da possante máquina, outras versões afirmam que o mesmo padeceu de um derrame ao volante, sofre um terrível acidente na qual o trator tomba e esmaga o seu corpo.

Em um dia de sábado, 17 de janeiro de 1976, encerrasse precocemente a trajetória de vida de um homem trabalhador e honesto que certamente seria um bom prefeito de nosso município. Boa Viagem veste-se de luto e chora a perda de um homem de futuro promissor.

Lamentando o triste fato, em 25 de março de 1976, o Coronel Adauto Bezerra, Governador do Estado do Ceará, juntamente com várias autoridades, compareceram a solenidade de inauguração e de homenagem a memória de David Vieira da Silva.

Seu nome ficou eternizado em uma importante escola que hoje é um centro de profissionalização de nossa juventude, em uma rua na lateral da mesma escola e em uma rua do Distrito de Olho d’Água dos Facundos, que, infelizmente, até hoje, não receberam regulamentação pela Câmara de Vereadores.

Em Olho d’Água dos Facundos, anos depois de sua morte, concretizou-se um de seus sonhos através dos esforços de sua esposa e de moradores da localidade. Foi iniciado um trabalho de evangelização e a construção de uma pequena Igreja Congregacional que infelizmente encontra-se desativada.

 
Comentários (1)
Congratulações
1 Seg, 27 de Setembro de 2010 21:48
Adelmo Rodrigues
Cumprimento o site e o professor Eliel Júnior por nos brindar com o conhecimento a cerca de nossa história. Felicitações...

Adicionar comentário

Seu apelido/nome:
Assunto:
Comentário: